Faerun Savage Frontiers

Primeiro arco - Parte IA

1- O paladino Mikal, o sacerdote de Akadis Luther e outros aventureiros (o halfling Clatus e o bárbaro Nardur) são contratados em Luskan pela companhia comercial dos Veleiros Audazes para realizar a proteção de uma caravana com destino ao Vale do Vento Gélido. Dentre os passageiros está um homem de origem nobre vindo de Waterdeep de nome Valerius junto de um guarda-costas.

2-Liderados por Beorj e Berak seguem pela passagem da Espinha do Mundo onde num acampamento pelo caminho conhecem uma dupla de mercenários do grupo Machados Sangrentos e os também aventureiros druida humano Irwain, Elmorin, Guieblin e o drow Valas, também acompanhantes da caravana. A súbita incursão de ursos no local de parada causa alvoroço. Neste período conhecem uma misteriosa passageira, uma elfa chamada Nindriel que parece aconselhar o nobre Valerius. O nobre carrega uma curiosa maleta e diz estar numa busca.

3-Ao adentrarem na região do Vale, a caravana se divide, metade segue para Brin-Shander e Bremen e outra para Portoleste. Guieblin, Elmorin, Clatus e Nardur seguem para Bremen enquanto os demais rumam para Portoleste.

4-Chegando na pequena Portoleste conhecem o elfo mago Tharlafnah, a ladra mestiça elfica Nayru e o guerreiro anão Habacuc que descansavam na cidade em busca de oportunidades e interesses pessoais. Os rumores sobre misteriosos ataques e desaparecimentos tomam maior proporção quando todos ficam sabendo que o local esta sendo vitimado por estranhos ataques de feras.

5-A pedido das autoridades (o representante Barog e o líder os pescadores Josel) os aventureiros se dispõem a investigar as origens e as criaturas responsáveis. Surgem as primeiras divergências entre os aventureiros, especialmente entre o paladino Mikal e o drow ranger Valas. Explorando a cidade, descobrem que as criaturas vinham do ermo fora dos limites da cidade e decidem ir investigar.

6-Depois de rastrearem algumas pegadas encontram no meio da neve uma vitima ferida que lhes da localização do que parece ser um covil das feras. Adentrando uma abertura entre pequenas pedras acham uma caverna escavada com ramificações. Mikal decide levar o ferido ate a cidade para ser tratado.

7-Durante a exploração encontram as feras, na verdade lobos, furiosos que investem contra os aventureiros. Para surpresa de todos um worg surge e parece comandar os lobos menores. Após uma difícil luta, todos conseguem sobreviver, embora muito feridos, e conseguem com grande esforço retornar a cidade. Irwain descobre na caverna uma estranha marca no worg que sugere a influencia de alguma força corruptora externa poderosa. Corpos de goblinóides são achados em câmaras com indícios de que estivessem ali há muito tempo. Irwain acredita que os lobos acharam o local após os goblinóides que já se encontravam mortos e aproveitaram o covil para seus interesses. Valas sente uma forte atração por uma estranha reentrância que parece amenizar suas fraquezas pela exposição a superfície.

8-As desavenças se intensificam com uma disputa entre Valas e Mikal na presença dos transeuntes a cidade o que causa receios nas autoridades. Nayru revela a Tharlafnah que achara um estranho amuleto na volta da caverna e pede ao mago para investigá-lo. Os demais são chamados pelas autoridades que em virtude dos atos dos aventureiros os despensam de continuarem com a investigação.

9-Tharlafnah usa uma magia para identificar o amuleto e recebe estranhas informações que revelam que o objeto tem origem perigosa e decide guarda-lo consigo. Depois de conversarem sobre suas opções, os aventureiros decidem retornar a caverna e terminar de explorá-la bem como o embate contra os possíveis lobos restantes. Irwain suspeita que Mikal esteja em dificuldades com sua divindade e os mesmo confirma depois de insinuações fortes do druida uma perda de seu status. A conversa é muito tensa e causa certo atrito entre os dois, bem como com Tharlafnah e Habacuc quando também discutem sobre as reações intempestivas do ex-paladino. Antes de retornarem para caverna os aventureiros conversam sobre os próximos passos. Irwain relata parcialmente sobre suas descobertas de que ainda haviam feras restantes e que o povo há muito sabia das ocorrências porem temiam que as caravanas não voltassem a cidade. Mikal informa o grupo numa troca de informações que uma misteriosa figura chamada de Senhora do Inverno poderia auxiliá-los a encontrar respostas e que um jovem chamado de Johen seria o único capaz de levá-los ate a cidade bárbara onde ela se encontra sem causar problemas.

10-Após uma compra de equipamentos, onde o druida doa boa parte de seu ganho para melhor preparar seus aliados, os aventureiros voltam a caverna. Novamente se defrontam com os lobos e os worgs restantes, porém o resultado é mais vantajoso para os aventureiros. Uma nova câmara com materiais e um altar indicam que algum tipo de ritual fora feito naquele lugar. As mesmas marcas são achadas nos worgs abatidos. Irwain mais uma vez se sente muito incomodado com a força capaz de corromper os animais e induzi-los a um confronto com os seres civilizados.

11-Ao saírem da caverna Valas informa que ficara para terminar de investigá-la, pois a caverna lhe parece familiar e o agrada. Os demais seguem de volta ao vilarejo.

12-Retornando a Portoleste, tratam de se recuperar dos ferimentos e buscar amenizar a má impressão deixada. O andarilho chamado Johen surge no vilarejo trazendo um homem ferido que alega ser sobrevivente de uma emboscada feita contra uma caravana no ermo. Depois de dias o homem revela que a Senhora Invernal estava presente na mesma. Logo que possível o grupo se oferece para ajudar Johen na busca pela caravana e a velha anciã.

13-Sem Valas, o grupo segue pelo gelado ermo com extrema dificuldade devido ao grande rigor do clima. Numa manhã são atacados num infeliz encontro com yetis que lhes custa a vida de Tharlafnah e Irwain. Depois de realizarem um breve cerimonial homenageando os companheiros perdidos, o grupo retoma sua viagem. O estranho medalhão achado por Nayru desaparece.

14-Após alguns dias, finalmente encontram os despojos da caravana, completamente destruída por um brutal ataque de orcs, reconhecidos como sendo de um clã chamado machadosafiados, porém não há sinal da presença da Senhora Invernal entre os mortos, o que faz o grupo concluir que ela pode ter sido levada como prisioneira. Entre os destroços encontram o misterioso elfo mago Rethavellus, irmão de Tharlafnah que seguia na mesa caravana. Johen descobre rastros dos atacantes e o grupo resolve persegui-los. Mikal encontra um símbolo sagrado de seu deus entre os despojos que lhe indica a confirmação de um sonho recente

15-Guiados pelos rastros, encontram um conjunto de tendas no meio do ermo, porém para surpresa de todos. O local esta semi-destruído há vários dias e só há corpos de orcs aparentando terem sido atacados por adversários poderosos. Uma animosidade se cria de Rethavellus com Habacuc e Luther. Numa das tendas encontram uma jovem elfa barda chamada Camy Cordasdeouro que se refugiara da tempestade. Muito cansados e fracos decidem repousar no local para recuperar forças.

16-Logo que se recobram, são avisados por Johen da vinda de um trio de orcs ao longe e buscam armar a captura dos mesmos que tentam fugir fazendo com que somente um deles sobreviva. Interrogado, revela que pode haver uma conexão entre seu clã e bárbaros.

17-Depois de um arriscado acordo com o prisioneiro orc, o grupo ruma para o esconderijo dos sobreviventes do acampamento. Lá chegando o cativo consegue fugir e avisar os demais da chegada dos aventureiros que lutam bravamente. Interrogando outro orc conseguem descobrir que a Senhora Invernal foi levada por um grupo de bárbaros que auxiliado por outros dois indivíduos poderosos lhes obrigou a invadir o antigo refugio anão no Vale dos anões em troca de permitirem que realizassem seus saques a caravanas, contudo os bárbaros haviam traído os orcs e destruído seu acampamento, fazendo-os recuar. O prisioneiro também revelara que sua tribo havia sido atraída a região por um chamado vindo ao xamã que aparentemente foi vitima de misteriosas forças na caverna, sentidas por alguns dos presentes. Mikal sente a aprovação de seu deus com suas escolhas e recupera sua condição.

18-Diante do possível perigo nas comunidades próximas ao Vale dos anões e a demanda de entregar o orc as autoridades e do paradeiro da Senhora Invernal, o grupo cuja união já se encontrava comprometida decide se dividir: Mikal, Rethavellus e Nayru seguem para Caer Dinneval e Habacuc, Luther, Camy e Johen seguem de volta para Portoleste.

Comments

Brenno Brenno

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.