Faerun Savage Frontiers

Primeiro arco - Parte II Desbravadores

28)Após a incursão na caverna que servia como esconderijo para um grupo de orcs fugitivos, os aventureiros decidem se dividir: o paladino Mikal, a meio elfa ladra Nayru e o elfo mago Rethavellus prosseguem a busca pela Senhora Invernal, uma misteriosa anciã da região dotada de habilidades a eles desconhecidas que poderia auxiliar na explicação dos estranhos eventos no Vale. O grupo também busca uma forma de evitar o embate das cidades de Bremen e Targos e reaver o lar anão da Colina dos Anões de seus invasores.

29) Carregando um prisioneiro orc para ser julgado pelas autoridades de Caer Dinneval, cidade de onde partira as carroças atacadas pelos orcs interceptados, o trio é recebido nas cercanias por um grupo de cavaleiros liderados por Gerlis Brent, filho do líder da cidade que os conduz sob desconfiança para milícia local, comandada por Ewon, enquanto os cavaleiros averiguavam a história contada. Numa das celas conhecem o guerreiro humano Ragnar que havia sido preso ao defender um jovem da cidade.

30)Liberados depois dos fatos confirmados, os aventureiros são conduzidos para uma audiência com Jensin Brent, representante da cidade e membros de outras famílias importantes no vindouro conflito. Jensin expõe a delicada condição do conflito entre decaburguenses e bárbaros nas suas cercanias, cuja discordancia e interesses das famílias locais o pressionam pela guerra. Por fim propõe uma investigação secreta na cidade bárbara de Caer Konig para verificar as intenções do povo bárbaro, aceita de imediato por Ragnar. Mikal declina por discordar dos métodos propostos e depois de uma tensa discussão com Rethavellus e Nayru fica na cidade aguardando o retorno do trio.

31)Nayru, Ragnar e Rethavellus preparam sua partida no empório local de Owen e Sania, ouvindo algumas informações importantes no decorrer da estadia em Dinneval, enquanto Mikal vagueia pela cidade pensativo. O trio de aventureiros recupera suas forças na inusitada hospedaria de Hondar e no dia seguinte partem com Brufford, um guia local. O trajeto segue sem maiores dificuldades ate descansarem numa caverna nas periferias de Konig, onde são capturados por um pequeno grupo de bárbaros.Liderados por u homem chamado de Grande Fúria, os bárbaros interrogam os aventureiros e os testam antes de dizerem não serem os responsáveis pelos fenômenos estranhos na região, causados por algum tipo de força maligna que vinha se fortalecendo e por isso os espíritos bárbaros vinham advertindo do perigo aos civilizados. Os bárbaros revelam terem presenciado um grupamento de Jovens bárbaros descontentes, sob o comando de Kurdor e Hinjel, com a vida nas cidades se deslocar para a região das cidades de Dez Burgos. Grade fúria diz que os irmãos que lideram os demais jovens se rebelaram contra as leis dos anciãos bárbaros e seu modo de vida, pregando a destruição dos povos civilizados que vivem na região. Também deixa claro que a jovem líder era sua pupila nos ensinamentos de Tempus antes de se voltar para a bestialidade da vida. Fica indicado que a Senhora Invernal poderá estar sob julgo dos bárbaros jovens. Ao serem questionados por Valnuur, um bárbaro ancião, são advertidos que os bárbaros pretendem retaliar qualquer ataque feito contra sua Cidade irmã, Bremen e que a presença de pessoa da cidade esta proibida em suas terras ate um acordo de paz se instaurar novamente. O trio é libertado e consegue depois de uma dura sobrevivência no ermo ser resgatado por cavaleiros que os conduzem de volta a Dinneval. Nayru descobre que o misterioso amuleto achado na caverna em Portoleste estava novamente em sua posse e possuía propriedades mágicas desconhecidas.

32) No retorno a cidade, o trio informa Jaco Brent, outro filho do líder de Dinneval sobre suas descobertas. Mikal aparece na residência para saber os resultados da demanda acerca da briga entre duas famílias rivais em que tinha se envolvido na ausência dos demais. O agora quarteto volta para estalagem de Hondar para comemorar suas vitorias e discutir seus planos futuros.

33)No decorrer da noite, Mikal e Nayru são surpreendidos pelo encontro com Berquel, ex instrutor da meio elfa em Luskan e amigo de seu pai. O paladino o conhecera na cidade dias atrás com um nome falso e fica perplexo. O esgrimista depois de perguntar pelo amuleto em posse de Nayru adverte para um perigo maior lhes rondando e uma urgência em saírem da cidade no mesmo instante, bem como o envolvimento do pai de Nayru no sumiço inicial do amuleto que era procurado por interessados em Luskan. Enquanto saem da estalagem Ragnar e Rethavellus se unem a eles e começam a fazer a retirada, quando são cercados por um grupo de homens que revelam Berquel como um traidor a serviço de seu contratante: o mago Erenscar. Comandados por Xamock e Tessius, os bandidos atacam os desbravadores para se apossar do amuleto, matando Berquel e iniciando uma luta de vida ou morte que chama atenção das autoridades e se interrompe apenas pela comunicação do mestre dos bandidos que estava de posse do pai de Nayru e exigia que a meio elfa lhe entregasse o amuleto em 20 dias para reaver o pai vivo. Nos últimos momentos de vida, Berquel recomenda Nayru buscar por um homem chamado Jholvan em Luskan para lhe auxiliar. Nayru sente uma estranha perturbação causada pelo amuleto que emana sobre ela uma força malévola e destrutiva aos sentidos do paladino.

34)Enquanto avaliam as opções para alcançarem a cidade das velas no prazo, Rethavellus contata o misterioso arcano local Angrias, mas não retorna para reportar aos demais. Seguindo os passos do mago, o restante do grupo adentra na residência do mago e descobre outro aventureiro na residência: O humano ranger Lazoz Rexnor que fora capturado pelos bandidos a serviço de Erenscar em Targos, levado para casa do arcano, onde soubera dos planos para emboscar os aventureiros em Dinneval e subitamente liberto com a retirada dos bandidos. Rethavellus informa que Erenscar esta liderando um conflito de poder com os rivais da Irmandade arcana e que Angrias é um agente independente da Irmandade para fins comerciais que fora surpreendido pelos homens de Erenscar e obrigado a colaborar, mas que agora oferecia uma ajuda ao grupo para manter suas atividades ocultas. No encontro com Angrias, o grupo recebe uma oferta: Viajar pelo portal do mago ate Luskan em troca de abandono imediato da cidade. Temendo pelo futuro do pai de Nayru, os aventureiros aceitam a contragosto a proposta.

35)Logo que chegam a Luskan, os desbravadores descobrem que Ragnar não estava entre eles e desconfiam que Angrias possa ter feito alguma intervenção proposital na magia, contudo sons de uma batalha próxima fazem com que deixem as duvida de lado para ajudar uma jovem cercada por bandidos. A jovem humana se apresenta como Yulla, uma serva de Tymora que participava de uma missão de aparente resgate que virara uma traição. Concordando em buscar um abrigo seguro, o grupo segue para antiga casa de Nayru e a encontram destruída pelo fogo, além de acharem Elidore, um druida humano de Silvanus que diz estar em busca do grupo para propósitos dados por seu deus junto a seu fiel lobo Dargent. Nayru conduz o grupo para uma taverna na área nobre da cidade para buscar um contato conhecido. Depois de algum contratempo com guardas da cidade os aventureiros conhecem Zoltan que os leva para uma residência onde supostamente encontrariam Kalas. No local são surpreendidos por uma armadilha que os deixa sob julgo de uma pequena guilda de ladrões Rastreadores da cidade liderada por um homem chamado Zazher. O mestre da guilda ladina esclarece que o conflito dos magos estaria dificultando os negócios obscuro da cidade e que Erenscar, antes um mero comerciante dotado de habilidades arcanas, agora representa um poder mortífero a Luskan. Também informa que Erenscar estaria usando serviço de um assassino profissional na busca pela meio elfa e oferece acesso dos aventureiros a torre onde vive o mago mediante realização de um serviço para guilda contra possíveis membros de um bando rival de Amn, os Ladrões das Sombras que estariam se instalando na cidade graças a uma união com Erenscar.

36)Com a duvida persistindo entre aceitar ou não ao acordo, os desbravadores acabam sendo libertados pela guilda e conduzidos para estalagem Cobre Denteada, onde teriam 5 dias para dar uma resposta a Zazher. Na estalagem ficam sabendo por Handros, Duval e Karhaj, um trio de mercenários viajantes sobre a movimentação para guerra nos reinos vizinhos contra hordas goblinoides vindas da Espinha do Mundo. Handros fala de uma imensa invasão de gigantes aos Pântanos Eternos e da expulsão dos trolls para Nesmé que mobilizara Lua Argêntea e cercanias. Depois de um descanso longo, os aventureiros reúnem-se para planejar seus próximos passos. Mikal sugere uma visita a um comerciante que conheceu do Distrito de Mirabar que lhe auxiliara quando esteve na cidade meses atrás e que possui uma índole confiável para lhes prestar alguma contribuição, no entanto, Rethavellus diz não poder rumar com os demais para poder fazer seus misteriosos estudos.

37)Sem a presença do mago, os desbravadores alcançam o distrito e logo percebem uma estranha movimentação próxima do armazém do comerciante. O local estava sendo atacado por um grande grupo de bandidos que no esforço conjunto com um elfo de nome Aranel foi contido. Finalmente o grupo encontra o comerciante conhecido de Mikal, Hraven que diante de sua pouca capacidade para lidar com as ameaças ditas pelo grupo, oferece uma alternativa: Cobrarem um favor do comerciante a um homem pouco amistoso que teria habilidades para ajudar os aventureiros em seus intentos.

38)Aceitando a oferta de Hraven, os aventureiros são repentinamente interrompidos por Aranel, revelando-se um agente de Evereska com missão de prender Rethavellus por suspeita de crimes contra seu povo. Depois de um pequeno debate acerca das intenções do elfo e dos supostos crimes de Rethavellus, os aventureiros decidem concentrar esforços na missão de cobrar o favor do contato de Hraven. Retornando a estalagem onde deixaram Retyhavellus recebem um bilhete seu indicando que partira por tempo indeterminado. Chegando ao destino indicado por Hraven, os aventureiros se surpreendem pelo contato ser um arcano vermelho (Edwin) que aparentemente já tivera contato com Erenscar e recusara sua oferta de fazer parte de seus aliados. Edwin cobra dos aventureiros uma demanda pessoal para poder transportá-los a morada do mago Erenscar: Recuperar um cetro em posse de antigos aliados do mago, um grupo de Ladrões das Sombras de Amn.

39)O assalto para reaver o cetro de Edwin é concluído com êxito e revela ligação entre Erenscar e o encontro com Yulla, uma vez que descobrem ter sido os ladrões das sombras os atacantes da cleriga na noite da chegada em Luskan. Edwin transporta o grupo a torre de Erenscar, onde enfrentam diversos desafios para alcançar o andar onde o mago residia. Não encontram o pai da meio elfa, apenas círculos e inscrições de algum tipo de ritual, assim como um corpo há muito falecido com vestes parecidas com as usadas por Erenscar. Uma figura de aparência semelhante ao mago exalando enxofre revela tê-lo substituído depois de obrigá-lo a buscar pelo medalhão de Nayru para seu mestre. A jovem pisa sobre um circulo cujas luzes a transportam para o misterioso subterrâneo, onde acaba cativa dos anões duergar.

Comments

Brenno Brenno

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.