Faerun Savage Frontiers

Primeiro arco - Parte II Peregrinos

40)Após a incursão na caverna que servia como esconderijo para um grupo de orcs fugitivos, os aventureiros decidem se dividir: Habacuc e Luther acompanham a barda Camy e o batedor local Johen de volta a Portoleste a fim de informar as autoridades sobre a possível presença de invasores na Colina dos Anões e do envolvimento de bárbaros.

41) Mesmo tendo um caminho difícil pelo rigoroso clima, o quarteto consegue alcançar Portoleste e logo percebem uma estranha movimentação armada na cidade que posteriormente descobrem ser causada pela passagem de goblinóides nas proximidades. Na estalagem conhecem o meio elfo aventureiro Rupert e o humano mago Telminser que na companhia do elfo ranger Sieblen haviam auxiliado a cidade com outra perturbação dos animais. Durante a confabulação são requisitados a falarem com Josel, o líder pesqueiro da cidade.

42)Na residência do líder pesqueiro, especulam sobre a invasão do Lar anão e violação das catacumbas anãs. Josel exige que o grupo tome uma atitude com relação ao elfo negro Valas que continuava na caverna no ermo próximo impedindo que verificassem se o local não representava ameaça, A situação se complicara pela provável presença junto dele de um estranho que aparecera recentemente na cidade. Depois de intensa discussão sobre a índole do drow e dos motivos da exigência de Josel, os aventureiros decidem averiguar o lugar no dia seguinte para acalmar os ânimos.

43)No caminho para caverna, Telminser revela ter escutado em Brin Shander sobre uma forte movimentação de goblinóides em várias partes das encostas da Espinha do Mundo e todos suspeitam que possa haver relação com a escassez de caça e a fúria dos animais na região. No interior da caverna, os aventureiros encontram obstáculos na forma de armadilhas e de esqueletos formados pelos despojos dos lobos derrotados tempos atrás. Superados os desafios, localizam uma pequena câmara com um desenho identificado por Habacuc como sendo um mapa de parte das passagens subterrâneas na Colina dos anões na escrita dos drow evidenciando uma possível invasão do local. Indícios de uso de magia no lugar fazem o grupo suspeitar que o estranho que buscou o drow possa ser um arcano. Os aventureiros concluem ser necessário avisar as autoridades do perigo.

44)Na volta a Portoleste, Habacuc revela a todos ser na verdade Glam Martelonegro do clã Martelodebatalha, as questões envolvendo as descobertas feitas na caverna e uma disposição de se submeter ao julgamento de seus pares no clã pelos erros do passado. Josel diz ao grupo que os anões no entreposto de Brin Shander mantêm algum tipo de segredo sobre a situação em seu lar abandonado e que será preciso uma investigação no lugar. O receio de uma conexão indicando uma invasão às cidades da região pelas passagens subterrâneas dos anões também é indicado pelo líder pesqueiro como algo a ser alertado ás autoridades. Telminser decide ficar na cidade de Portoleste para tentar desvendar o enigma do descontrole dos animais na região e possíveis ligações com os demais acontecimentos.

45)Ao chegarem à cidade murada de Brin Shander são recepcionados por conhecidos do batedor Johen que avisam da tensão entre os representantes anões locais, os comerciantes e autoridades da região, assim como das tentativas de exploração indevida de alguns viajantes ao Lar abandonado dos anões. Decididos a conversar primeiro com os anões, os aventureiros deixam Johen e Camy tratarem de outros assuntos enquanto solicitam uma audiência no entreposto do clã Martelodebatalha. Habacuc reencontra Muhogar Mão de Moradin, amigo intimo de seu pai e um estimável “tio” agora na posição de líder do clã na região que o convida para uma conversa reservada, deixando o restante do grupo sob custodia dos demais anões. No ínterim de retorno de Habacuc dois outros “hospedes” são apresentados: O elfo aventureiro Gwayn que buscando pelo paradeiro de seu amigo Lazoz fora detido pela presença no local do assassinato de um anão do clã e o humano ladino Phamuryel que fora identificado como estando envolvido na morte do mesmo anão. Muhogar confirma os problemas ocorrendo nos subterrâneos da Colina dos Anões e expõe parte das ações que os anões estavam prestes a realizar para expulsar os invasores. Habacuc, agora atendendo novamente pela alcunha de Glam, declara ser voluntário para uma perigosa missão de reconhecimento através do caminho mais perigoso de acesso aos níveis invadidos do Lar anão: O complexo de passagens com diversas armadilhas mortais intitulado pelos anões de labirinto.

46)Devidamente equipados com as provisões anãs disponíveis e tendo acertado por quais termos Gwayn e Phamuryel lhes acompanhariam na missão, os aventureiros guiados pelo anão Grout percorrem o complexo de passagens a fim de localizar uma entrada secreta no meio do complexo. Gwayn revela dotes arcanos aprendidos com um colega de aventuras (Beowulf) em Targos, O caminho se mostra mais difícil do que supunham, precisando de muito esforço de todos para sobrepujar as criaturas e armadilhas encontradas. Durante um penoso combate contra gosmas no caminho, o ladino Phamuryel se desgarra dos demais e desaparece depois de acionar uma armadilha oculta que pode ter custado sua vida. Luther cai vitimado por uma agulha com uma substancia que o mantém inconsciente, sendo carregado pelo restante do grupo. Quando por fim encontram a passagem certa são atacados por bárbaros, mas conseguem superá-los e continuar sua demanda.

47)Adentrando na primeira seção da Colina dos anões, os peregrinos perdem o rastro dos bárbaros fugitivos e buscam encontrar mais provisões e medicamentos para Luther, quando se vêem diante de câmaras onde homens aprisionados e mortos foram abandonados, entre eles esta o pequeno halfling Tomas, um servo de Tymora que caira numa emboscada de bárbaros quando “vasculhava” o labirinto. Glam duvida da justificativa de Tomas sobre seus motivos para estar no local e decide observá-lo de perto.

48)Diante da severa condição de inconsciência sem reversão do sacerdote, Grout decide regressar com Luther para o entreposto anão, deixando os demais encarregados de prosseguir na infiltração do território invadido. Encontram um grupo de mercenários perdidos que alegam terem sido contratados por um homem (Trociv) para explorar o antigo refugio. Combatem um grupo de bárbaros, onde Gwayn exibe habilidades arcanas e acabam sendo auxiliados por Hector, sacerdote de Tempus e antigo aliado de Gwayn em sua estada na cidade de Targos. Interrogando os vencidos. Hector revela ter sido apanhado buscando o paradeiro de Lazoz e Gwayn, sendo capturado e interrogado por um velho arcano em um homem de aspecto ladino (Trociv), supostamente aliados a um grupo de bárbaros e depois liberto por Trociv. Gwayn fica ciente por Hector do assassinato do comerciante Anish, bem como da captura de seus ex-colegas e da acusação de assassinato e suspeita de ligação com Trociv. Tomas menciona ter sido destratado por um elfo negro que revelara a união de um feiticeiro com os bárbaros e sobre um ritual envolvendo um senhor de caçadas. Glam se recorda dos indícios achados na caverna em Portoleste e suspeita que a invasão seja um pretexto para buscar algum artefato valioso nos túmulos dos anões. Rupert suspeita que Trociv seja um antigo conhecido seu.

49)Interrogando os bárbaros remanescentes ficam informados da presença dos irmãos furiosos. Gwayn suspeita se tratar de uma ação das divindades da fúria (Malar, Auril, Umberlee) sobre os bárbaros. Persistindo na missão e exploração dos tuneis anões, encontram diversos cadáveres de bárbaros pelo caminho percorrido por Hector. Encontram outro embate, desta vez entre uma forma protegida por sombras espessas que sugere ter facilitado o percurso do grupo. A sombra insinua para Glam ser o elfo negro Valas ao indicar seu conhecimento a respeito dele e de uma misteriosa pedra/fragmento. Esclarece também sua intenção de se vingar do mago e de Trociv, bem como de advertir o grupo acerca dos irmãos bárbaros da fúria, seguidores de Malar e lideres de um grupo de jovens bárbaros revoltosos. Explica também que o mago ancião (Plazoz) possui contato com um arcano de Luskan (Erenscar) e que sua presença nos tuneis se deve a procura por um antigo pergaminho relacionado com eventos antigos da região, convencendo os irmãos bárbaros a invadir o lar anão como forma de enfraquecer aliança entre os povos da região. Um repentino desmoronamento finda com o encontro.Sentindo-se enfraquecido com tamanha exposição ao subterrâneo, Sieblen fica para trás tentando se recuperar.

50)Seguindo uma longa escadaria, os peregrinos encontram diversas câmaras com tumbas anãs, até alcançarem os salões mais sagrados. Ouvem as vozes da líder bárbara Hinjel numa tensa conversa com Plazioz, onde o mago revela sua traição, restando ao grupo sobreviver no meio de uma grande batalha. Sieblen ressurge para reforçar o embate, quando raios são soltos por todos os lados e o velho mago recita uma magia que faz todo ambiente ruir, obrigando o grupo a buscar uma desesperada rota de fuga. O chão desmorona, levando cada um dos peregrinos rumo á completa escuridão.

Comments

Brenno Brenno

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.